Dor de garganta – Causas, sintomas e tratamentos

7 alimentos para fortalecer o ouvido
11 de março de 2020
Hemorragias nasais: se sangrar do nariz, não deite a cabeça para trás
22 de abril de 2020

A dor de garganta é um dos sintomas mais comuns de uma série de doenças conhecidas. Ela pode aparecer como indicação de faringite (inflamação na faringe), ou também em casos de amidalite (inflamação nas amídalas) ou laringite (inflamação na laringe).

 

A causa mais frequente da dor de garganta costuma ser a infecção viral, ou seja, gripes e resfriados. Além disso, há infecções provenientes de doenças da infância como sarampo, coqueluche, catapora e difteria. Nesses casos, os vírus entram no corpo pelas vias áreas, com contágio acontecendo pelo ar ou pelas mãos contaminadas.

 

Casos de infecções bacterianas também são comuns, ainda que 20 vezes menos comuns do que os virais. A dor de garganta também pode ser sinal de alergias, refluxo, uso excessivo da voz e até secura na garganta. Em casos mais graves, a dor ainda pode ser indício de tumores na região.

 

Os sintomas podem variar dependendo da causa da dor, mas entre os mais comuns estão:

 

  • Dor e dificuldade ao engolir;
  • Sensação de coceira na garganta;
  • Inchaço na área;
  • Rouquidão;
  • Tosse;
  • Além disso, em casos de infecções, pode haver tosse, febre, dores no corpo e até mesmo pus nas amídalas.

 

Existem alguns hábitos que podem ajudar e evitar dores de garganta, acompanhe:

 

  • Não fumar, evitando irritações na garganta;
  • Beber muita água, hidratando a região (a água gelada não é fator relevante, mas o choque térmico provocado pode irritar a região);
  • Evitar ar-condicionado, fugindo do ar seco que pode causar irritação;
  • Lavar as mãos com frequência, prevenindo a transmissão do vírus.

 

Tratamento da dor de garganta

 

O tratamento da dor de garganta vai variar de acordo com as diferentes causas. Em infecções virais como resfriados e grupos, é provável que ela diminua naturalmente.

 

Para aliviar o incômodo, podem ser utilizados soluções como analgésicos, anti-inflamatórios e pastilhas. Essas soluções reduzem as dores, mas não agem diretamente na infecção. Já me casos de infecções bacterianas, a alternativa vem na forma de antibióticos.

 

Além disso, há outras indicações que podem ser eficientes:

 

Repouso: com o descanso do corpo, há reforço da imunidade. Assim, a recuperação pode ser acelerada com um tempo de repouso.

 

Chás: o consumo de chás ajuda a hidratar a região da garganta, reduzindo os incômodos. Porém, se consumidos muito quentes, podem deixar a garganta mais irritada.

 

Própolis: algumas gotas de própolis também podem ajudar na hora de diminuir o incômodo e a dor na região afetada.

 

Em casos com sintomas agravados, o paciente de dor de garganta deve procurar um médico.

 

Crianças que não sentem redução do incômodo ou estão com dificuldade extrema de engolir ou até mesmo respirar, podem estar contaminadas com bactérias estreptococo.

 

Em adultos, vários sintomas também indicam a necessidade de um tratamento especializado. Dentre eles, estão a dor muito recorrente ou persistente por mais de uma semana. Além disso, febre acima de 38ºC, dor nos ouvidos, caroço no pescoço ou manchas na pele são motivos de atenção redobrada.

 

Fonte: Notícias R7