Dor de garganta pode ser sintoma de doença grave

Apneia do sono ou apenas ronco: diferença sutil ajuda a determinar
9 de outubro de 2019
Barotrauma: O que é e como tratar?
6 de novembro de 2019

A dor é o principal sintoma da faringoamigdalite, inflamação que afeta a faringe e as amigdalas. Na maioria dos casos, a doença é de origem viral, mas quando causada por bactéria — em especial o estreptococo do grupo A (pyogenes) — o quadro fica mais complicado: quando não tratada adequadamente, pode provocar sequelas graves.

 

— Isso pode ocorrer tanto pelo agravamento da infecção com a formação de abscessos (bolha de pus), como a glomerulonefrite (que afeta os rins) e a febre reumática, que pode causar uma endocardite.

 

A faringoamigdalite estreptocócica costuma afetar mais as crianças do que os adultos. Por isso, é importante que os pais fiquem atentos a reclamações dos filhos sobre dores na região da garganta. Um tratamento não adequado pode comprometer para sempre a saúde da criança, já que as sequelas podem afetar o funcionamento do coração.

 

Se um caso da doença for diagnosticado em alguém próximo, a recomendação é evitar o contato direto. A bactéria pode ser transmitida num aperto de mão, no compartilhamento de um copo, ou numa conversa, por meio das gotículas de saliva ao falar.

 

O diagnóstico é feito por exames laboratoriais, a partir da coleta de um material da garganta, que é levado a um teste de reação imunológica para detectar partículas da bactéria na amostra. O tratamento é feito com antibióticos e tem duração de sete a dez dias. O médico pode recomendar analgésicos e antitérmicos para amenizar as dores e a febre.

 

Fonte: Extra Globo