Rinite alérgica: saiba quais são os sintomas e como evitar crises

Barotrauma: O que é e como tratar?
6 de novembro de 2019
Respirar pela boca pode prejudicar até o coração
4 de dezembro de 2019

Rinite é a inflamação aguda ou crônica, infecciosa, alérgica ou irritativa da mucosa nasal. Na maioria das vezes, os casos mais graves são causados por vírus. Já os quadros crônicos ou recorrentes são geralmente determinados pela rinite alérgica, induzida pela exposição a componentes que possuem maior probabilidade de causar alergias nas pessoas, entre eles os ácaros da poeira, barata, fungos, epitélio, urina e saliva de animais (cão e gato). Os principais irritantes são a fumaça do cigarro e alguns ingredientes utilizados em produtos de limpeza e construção.

 

Os sintomas mais comuns são corrimento nasal, obstrução ou prurido nasal e muitos espirros. Também é comum que o paciente apresente sintomas oculares como coceira, vermelhidão e lacrimejamento, que podem melhorar espontaneamente. Nos casos crônicos, pode ocorrer perda do paladar e do olfato.

 

O diagnóstico de rinite alérgica é clínico, com base nos dados de história e exame físico. Classificada atualmente com base na intensidade dos sintomas e seu impacto sobre a qualidade de vida do paciente. É importante procurar um médico que irá pesquisar as causas de alergia e recomendar o tratamento mais adequado para controlar a doença, promover a prevenção e o alívio dos sintomas de forma segura e eficaz.

 

Medidas para evitar as crises de rinite

 

  • Parar de fumar; Perder peso (quando indicado);
  • Prevenir o sobrepeso e obesidade;
  • Realizar atividades físicas;
  • Reduzir a exposição a fatores desencadeantes, como exposição a ácaros ou alérgenos relacionados a mofo, tabagismo passivo, animais domésticos se comprovada sensibilização, odores fortes e locais de poluição atmosférica.

 

Fonte: UOL/Viva Bem